Arquivo para maio \04\UTC 2014

Abri os olhos.

Foi tudo um sonho, o tempo não passou apressado e eu ainda sou eu. Meu coração ainda bate forte e eu consigo me equilibrar em minhas próprias pernas, estou inteira.  Respiro aliviada, lavo o rosto e perfumo o corpo, foi só um pesadelo. Ouço seus passos pela casa, são como música aos meus ouvidos – no sonho eu não ouvia mais você.

Desço as escadas correndo e me preparo para pular em seus braços. Estanco. Não é você! De quem é esse rosto? De quem é essa casa? Tem alguém me sorrindo. Não o reconheço.  Caminho até o banheiro e me olho no espelho. O que está acontecendo? Não é o meu reflexo que vejo.

Quem é essa mulher? Que olhos tristes, que figura sem cor! É morta, mas vive. Movimento-me e ela repete cada gesto meu. Calafrio. Meu peito dói, meu coração se desfaz em pequenos cacos, perco o equilíbrio e o chão – sou eu. Mas eu ainda sou uma menina!

Onde eu estive esse tempo todo? Como não vi isso tudo acontecer?
Onde você está? Eu morri? Como continuo caminhando? Como continuo vivendo?

(você me matou)

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: